Translate

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

2 ETAPA DO MARESIA PAULISTA DE SURF PROFISSIONAL

O final de semana foi de muito sol e calor no Guarujá, palco da 2ªEtapa do Maresia Paulista de Surf Profissional . Praia cheia e com isso muito consumo de bebidas e comidas por parte dos banhistas. O comércio ambulante e de barracas nas praias do Guarujá é um problema sério de Vigilância Sanitária que a prefeitura da cidade enfrenta a vários anos. A geração de lixo e micro lixo é muito grande e a falta de fiscalização desse tipo de comércio gera muitos danos à praia em geral. a pouca educação também ajuda a tornar a praia um verdadeiro lixão a céu aberto. somente quando passam os coletores nas areia é que se pode ver um pouco do que restou da beleza do Guarujá.
Quando cheguei em casa após o evento meu vizinho de 5 anos me perguntou alegre como havia sido minha ida à praia e se havia visto muitas conchinhas. Respondí com muita tristeza que hoje em dia, infelizmente, já não se encontram conchas por lá, somente filtros de cigarros, palitos de sorvete, canudinhos, etc. O que será que as crianças poderão ver em nossas praias no futuro? Decididamente é uma realidade infeliz.
Realizamos nosso trabalho, como sempre, instalando várias lixeiras, que infelizmente também não ficaram cheias. Parece que por alí as pessoas se acostumaram em não vê-las e por isso nem se dão ao trabalho querer de usá-las para melhorarem sua praia. Foram distribuídos cinzeiros portáteis aos fumantes e sacolinhas oxibiodegradáveis para descarte do lixo. Gincanas de coleta de micro lixo, como os filtros de cigarro, que contabilizaram 1227 em 10 minutos de ação das crianças, todas de luvas representando os doutores da praia e também 586 canudinhos plásticos. Na corrida da coleta seletiva, 4 baterias de crianças mostraram que elas estão por dentro da correta separação dos materiais dando um exemplo para os adultos que acompanhavam de perto. Realizamos palestras para as crianças e adultos que visitavam nossa tenda para assinarem nosso abaixo assinado. Como sempre os bonecos do Projeto Reutilizarte estiveram presentes para incentivar as pessoas a repensarem no descarte de seu material e desenvolverem a vontade de transformá-los em brinquedos ou algo reutilizável. Recebemos a visita do atleta da UOT, Leandro Moulin, que chegou as quartas de finais mostrando garra e competitividade. Mais um trabalho realizado com positividade. Recebemos também a visita da assessora da nova prefeita do Guarujá que nos convidou para realizarmos projetos na próxima gestão. Agradecemos nossos fiéis voluntários e amigos, Rubão e Sibely, que estão sempre presentes aos eventos e prontos a nos ajudar. Convidamos aos nossos voluntários para a última etapa que se realizará em duas semanas (13 e 14/12) na praia de Itamambuca em Ubatuba. Contamos o o apoio de todos e agradecemos mais uma vez nossos apoiadores pela possibilidade de realizarmos nosso trabalho.

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

CÃO NA PRAIA, NÃO!

CÃO NA PRAIA, NÃO!

Se não bastasse ser uma questão de saúde pública é também falta de respeito com o semelhante. Tanto quanto ou pior mesmo que transformá-lo em fumante passivo. São agressões que representam total falta de educação, mas que estamos sujeitos em todos os lugares.

Além dessa falta de respeito o mais absurdo é que pagamos altos impostos ao município e a Prefeitura de São Sebastião sempre protelou a questão alegando a inexistência de um Centro de Controle de Zoonoses, que acabou sendo construído nesta gestão, mas é só andar pelas praias da cidade para verificar o problema, que se resume na ausência de fiscalização e aplicação da Legislação existente. Indicador do processo de degradação, com reflexos na desvalorização imobiliária.

O hábito das pessoas andarem na praia sem calçado torna-as vulneráveis, pois a decomposição das fezes caninas além do cheiro desagradável favorece o desenvolvimento de parasitas intestinais e da larva migrans, conhecido como bicho geográfico, constituindo-se um grave risco à saúde pública. Principalmente às criancinhas que adoram brincar na areia.

É possível que seu navegador não suporte a exibição desta imagem.
Na praia de Guaecá a comunidade financia campanhas, com enormes faixas, além da distribuição de folhetos, que não funciona, pois se trata de um problema que só se resolverá através de ações conjuntas: de educação ambiental e fiscalização, aplicando as multas previstas e apreendendo os animais, alguns perigosos que avançam nas pessoas, outros doentes. Providência que deveria começar já visando à temporada que se aproxima.

Por outro lado, existem proprietários com o hábito de trazer junto o cão para sua casa de veraneio e perdem o controle sobre os mesmos. Outros imaginam que manter esses animais na propriedade aumenta a segurança das mesmas, mas não orientam seus caseiros os cuidados que devem ser tomados para não deixar o animal solto infectando o meio ambiente e perturbando a vizinhança que vêm em busca de repouso. E há aqueles que fazem com sentido provocativo meramente para mostrar poder. São infelizes que não sabem usufruir e preservar essa exuberante natureza e certamente não a merecem.

Essa situação de cães e da irresponsabilidade de seus proprietários é tão grave que no Orkut existem inúmeras páginas tipo "cão na praia não", recentemente a Rede Globo veiculou extensa matéria sobre o assunto nas praias do Rio de Janeiro. Em Vitória e Vila Velha, ampla reportagem publicada em a Gazeta, mostrou que análises efetuadas com a areia indicam sua contaminação com sérios riscos aos seus usuários1. Em Nova York a situação ficou tão grave que levou com que uma adolescente sugerisse que a Prefeitura ao expedir a licença fizesse constar o DNA, para que funcionários da limpeza pudessem ao fazer a coleta enviar amostras ao Laboratório para análise e o infrator receberia a Multa pelo Correio.

Se não bastassem esses riscos, temos a tristeza de depararmos com outras feras piores que os infelizes animais: seus proprietários. Ao ser chamado a atenção, muitos deles agem de forma irracional, agressiva e com a mais absoluta prepotência como se estivessem na plenitude de seu direito.

Para esses deveria haver uma pena para cada infração cometida pelo seu animal, além das multas previstas em Lei: fazer um extenso curso de reeducação e cumprir tarefas semanais de limpeza e higienização da sujeira em locais públicos.

TEXTO ENVIADO POR IRINEU NALIN

terça-feira, 18 de novembro de 2008

1º CHALLENGE FOR FRIENDS


A ong SOS PRAIAS BRASIL participou de mais um evento neste final de semana. Realizado na Praia de Juquehy, litoral sul de São Sebastião, o 1º Challenge for Friends, que reuniu os praticantes de surf da região do Alfaville e também os surfistas locais de São Sebastião.

O evento teve o objetivo principal de confraternização. A ong SOS PRAIAS BRASIL mais uma vez esteve presente a um evento realizado e organizado por pessoas preocupadas com o impacto ambiental que eventos em praia costumam dar.

Foram colocadas várias lixeiras de coleta seletiva e o público presente foi muito receptivo às informações passadas a todo instante pela locução. Na gincana, o vencedor foi o Kaique. Levou um boné SOS PRAIAS BRASIL/NOKYNOY e a pulseirinha SAVING THE PLANET/UOT.

O que contribuiu para que ao final do evento a praia estivesse limpa mesmo após a desmontagem da estrutura do palanque, onde costumam ficar muitos parafusos e travas de plástico, que rapidamente somem na areia. O filtro de cigarro, o qual costuma ser encontrado em demasia pelas areias, desta vez não foram muitos. Ufa! Será que enfim conseguimos conscientizar os fumantes.

Pelo menos desta vez tivemos a sensação de alívio e vitória. O Homem-Bituca, como sempre, deixou vários fumantes sem graça com seu jeito irreverente, oferecendo um cinzeiro portátil para que não fossem deixados os filtros na areia da praia.

Ele também participou da entrega de prêmios aos vencedores da categoria longboard. Parabéns ao Fábio e a Bia, organizadores do evento. Apesar das ondas estarem muito pequenas o campeonato foi de muito alto astral. Acreditamos que este foi o primeiro de vários que ainda estarão por vir.

Agradecemos aos nossos apoiadores por mais uma vez acreditarem em nosso trabalho nos ajudar a continuar a levar a onda da educação ambiental para muitos.

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

ONG SOS PRAIAS BRASIL VISITA ITAMAMBUCA (UBATUBA - SP)



Entre os dias 21 e 26 de outubro aconteceu na Praia de Itamambuca, Ubatuba (SP), mais
uma etapa do Mundial de Surf. O Onbongo Pro Surfing WQS 2008.



Nossa ong foi até lá para realizar, mais uma vez, o trabalho de conscientização ambiental,
divulgando a campanha Saving The Planet, contra o aquecimento global e mostrando aos presentes como contribuir para melhorarmos nosso meio ambiente.






Uma grande parcela da sociedade ainda age com desinformação e desinteresse pelas causas ambientais, desconsiderando o fato de que os recursos naturais são finitos e toda utilização indevida tem seu preço. Daí podemos concluir que os 3 inimigos principais do meio ambiente a serem combatidos, podemos apelidar dos 3 D’s :
  • DESINFORMAÇÃO;
  • DESINTERESSE;
  • DESCONSIDERAÇÃO.
Mais uma vez agradecemos nossos apoiadores, pois sem as contribuições não conseguiríamos concretizar nossos objetivos. UOT, NOKYNOY, FAMA ASSESSORIA, ESFERA SOLUÇÕES, OAKLEY, GRETTA SILK e ECOTRAY.

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

WQS Maresia Surf International 2008 - "Lixo zero"


O impacto causado no meio ambiente pela produção desenfreada de lixo tem levado governo e
sociedade a promover estudos e buscar alternativas para minimizar a degradação da natureza
e aumentar o bem estar da sociedade como um todo. Reduzir o desperdício é uma das formas
de se contribuir para a preservação do meio ambiente, conservando as reservas naturais,
sua flora e fauna. A palavra de ordem é reciclar. Reciclar para reduzir o impacto ambiental
e aumentar a qualidade de vida no planeta no presente e principalmente, no futuro. Focada
neste problema a Maresia, empresa que realizou o WQS Maresia Surf International



2008 na Praia Brava de Itajaí, contratou a ong SOS Praias Brasil para realizar o trabalho
de gestão ambiental, organizando toda a parte de colocação e manutenção de lixeiras,
separação seletiva e destinação à reciclagem de todo o lixo gerado durante o evento. Sem
este trabalho, todo este material seria levado para o aterro sanitário da cidade de Itajaí,
a maioria de plásticos, que levam mais de 100 anos para se decompor na natureza. O evento teve
impacto zero.
Terminada a competição a equipe do SOS Praias Brasil "varreu" a areia na área do evento e
a vegetação nativa, concluindo o trabalho na segunda-feira à tarde, deixando toda a área
limpa como estava antes. Com a ajuda de nosso grande amigo e sempre voluntário, Carlão, que
esteve sempre atento na manutenção das lixeiras e ajudando as pessoas a direcionarem o lixinho no coletor correto.


Evento com trabalho positivo. Lixo 100% destinado a coleta seletiva.



As pesagens dos materiais recolhidos e separados para destinação à usina de reciclagem
foram:

* Alumínio - 36 kilos
* Plástico Pet - 84 kilos
* Plástico de 2ª - 22 kilos
* Papel e papelão - 55 kilos
* Vidro - 12 kilos
* Tetra Pack - 6 kilos

Total de 215 kilos de material que iria para o lixão da cidade, caso não houvesse o cuidado
e a atenção da Maresia em relação a esse grande problema de armazenagem nos lixões. A
quantidade só não foi maior devido a chuva. Caso houvesse sol a quantidade de água, sucos,
etc, consumidos seria muito maior.

Trabalho cumprido!

A ong SOS Praias Brasil também realiza o mesmo trabalho no Maresia Profissional Paulista,
com data marcada para a segunda etapa dias 15 e 16 de novembro no Guarujá.


video

sábado, 18 de outubro de 2008

O JOVEM BRASILEIRO E A SUSTENTABILIDADE

Apesar de muita gente confundir, o termo não se refere à maneira como uma pessoa se sustenta
economicamente. Ser sustentável é conseguir sobreviver causando o menor impacto possível no
planeta. É chocante, mas uma pesquisa feita em nove cidades pela MTV revela o conhecimento
dos jovens de hoje em relação ao assunto.

De cada dez jovens brasileiros, seis não têm idéia do que significa a palavra sustentabilidade.
De acordo com a pesquisa os problemas que mais afligem os jovens são a violência, o desemprego e as drogas. Apenas 20% se preocupam com o aquecimento global e os feitos da poluição.

A forma com que o jovem contribui para a preservação é a seguinte:
  • 55% diz que não joga lixo em lugares públicos e têm nessa ação a sua maior contribuição.
  • 21% pensam em reciclagem,
  • 23% em economia de água e
  • 10% em poupar energia.
  • O consumo consciente foi citado por míseros 3%.
O estudo foi realizado com jovens da classe A e B entre 12 e 30 anos. No total 49 milhões de brasileiros. Foram 12 discussões em grupo e 52 entrevistas em profundidade com jovens, pais, educadores, escritores e formadores de opinião de diversas profissões. Foram 2.579 entrevistas nos estados de SP, RJ, BA, DF, PE, MG, RS e AM entre abril e maio de 2008.

Grupos:

Comprometidos (17%): conhecem e valorizam as causas ambientais. Praticam seus conhecimentos cotidianeamente e valorizam as empresas e produtos ecologicamente corretos.

Teóricos (26%): depois dos comprometidos, são os que mais valorizam as causas ambientais.
Têm muita informação se preocupam em não jogar lixo nas ruas e economizar água e energia.
Mas não estão dispostos a sacrifícios pessoais, como reduzir o uso do carro.

Refratários (20%): é o grupo que menos valoriza as causas ambientais e que não faz e nem
pretende fazer nada em favor do planeta. Acreditam que a degradação do meio ambiente é um
problema para ser resolvido pelas próximas gerações.

Intuitivos (21%): não demonstram domínio do assunto ou consciência ecológica. Nesse grupo,
a prática, quando acontece, é mais intuitiva. Acham que a linguagem que a mídia utiliza para falar sobre o assunto muito difícil.

Eco-alienados (16%): são os que menos conhecem conceitos, fatos e acontecimentos relacionados a preservação do meio ambiente. Resistem a reciclagem, não se preocupam com o futuro dos filhos e contribuem pouco para a defesa do planeta.

Fonte: Jornal Drop (SC)

Devemos multiplicar a conscientização ambiental da forma mais simples. Conversando com um sobrinho, um primo, até mesmo seu vizinho e estimular que essa pessoa passe a diante a informação. Ensinando às pessoas a admirarem nossa natureza, coisas simples do dia a dia, como parar para ver e ouvir um pássaro cantar, desligar a torneira da pia quando estiver escovando os dentes, admirar uma calçada limpa, etc.

quinta-feira, 16 de outubro de 2008

SOS PRAIAS BRASIL ATUA NO WQS MARESIA INTERNATIONAL 6 ESTRELAS

O sol só aparece pela manhã, vento e chuva durante quase todo o dia. Assim começou o WQS Maresia International na Praia Brava de Itajaí em Santa Catarina na manhã de terça-feira, dia 14. Quarta e quinta também com muita chuva e paralizações durante o dia por não haverem condições para o surfe. A previsão é de que o mar melhore com a chegada da frente fria.
A cidade de Itajaí comporta um grande porto e fica ao lado de Balneário Camboriú, que já é uma cidade grande e com isso vem também o problema do lixo que dependendo das correntes é jogado na Praia Brava. Do outro lado da cidade desemboca um grande rio, o Itajaí-Açú, que já está muito poluído, segundo informações dos locais e sempre traz muito lixo com as correntes, além do esgoto que é jogado nesse rio. É uma pena, pois a praia Brava de Itajaí é lindíssima. Toda cercada por vegetação nativa e os moradores tem tentado o título de reserva ecológica, mas ainda não conseguiram e estão querendo aprovar a uma lei para a construção de edifícios no local. Total absurdo!



Voltando ao evento, o trabalho da ong fica um pouco mais difícil nas condições de chuva, por haver menos público, principalmente crianças, que é nosso alvo principal para desenvolvermos a educação ambiental. Estamos fazendo a distribuição de sacolinhas oxibiodegradáveis e de cinzeiros ecológicos para os fumantes.
Alguns dos atletas participantes usam o logo da ong em sua prancha em apoio ao nosso trabalho e para mostrarem que também estão preocupados com os problemas ocorridos em nossas praias.

A Maresia contratou a ong SOS PRAIAS BRASIL para realizar a gestão ambiental do mundial 6 estrelas, preocupado com a questão do lixo gerado pelo evento e seu habitual descarte. Estamos separando todo o material que será encaminhado à uma usina de reciclagem para aproveitamento futuro. Assim também estamos ajudando a neutralizar o carbono da natureza.

Durante o evento acontecerão oficinas de criatividade, gincanas ecológicas e ações do Homem-Bituca. Acompanhem!

domingo, 21 de setembro de 2008

SOS PRAIAS BRASIL NA ADVENTURE SPORTS FAIR 2008


De 04 a 07 de setembro aconteceu no Pavilhão da Imigrantes a décima edição da Adventure Sports Fair 2008. Feira internacional de esportes radicais, de aventura e turismo.
Nós estivemos presentes realizando nossa ação com o Homem-Bituca e a Mulher de Papel, distribuindo cinzeiros portáteis e adesivos de nossos apoiadores. Sempre com o objetivo de conscientizar e educar principalmente os fumantes quanto ao descarte de seu cigarro.




A Campanha Adventure Atitude com o intuito de conscientizar e educar, mostrou a todo o público presente, como respeitar a natureza e colaborar com ela. Através de folders, banners, cartazes e outras formas de comunicação, foi possível atingir os objetivos da Campanha de incentivar a coleta seletiva, reciclagem e reutilização de materiais, além de dar dicas para estimular a redução do desperdício de água, de energia, de matérias primas e o consumo sustentável.
Lembre-se: "QUEM AMA CUIDA, QUEM CONHECE RESPEITA E QUEM VALORIZA NÃO DESPERDIÇA.”