Translate

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

ONG SOS PRAIAS BRASIL VISITA ITAMAMBUCA (UBATUBA - SP)



Entre os dias 21 e 26 de outubro aconteceu na Praia de Itamambuca, Ubatuba (SP), mais
uma etapa do Mundial de Surf. O Onbongo Pro Surfing WQS 2008.



Nossa ong foi até lá para realizar, mais uma vez, o trabalho de conscientização ambiental,
divulgando a campanha Saving The Planet, contra o aquecimento global e mostrando aos presentes como contribuir para melhorarmos nosso meio ambiente.






Uma grande parcela da sociedade ainda age com desinformação e desinteresse pelas causas ambientais, desconsiderando o fato de que os recursos naturais são finitos e toda utilização indevida tem seu preço. Daí podemos concluir que os 3 inimigos principais do meio ambiente a serem combatidos, podemos apelidar dos 3 D’s :
  • DESINFORMAÇÃO;
  • DESINTERESSE;
  • DESCONSIDERAÇÃO.
Mais uma vez agradecemos nossos apoiadores, pois sem as contribuições não conseguiríamos concretizar nossos objetivos. UOT, NOKYNOY, FAMA ASSESSORIA, ESFERA SOLUÇÕES, OAKLEY, GRETTA SILK e ECOTRAY.

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

WQS Maresia Surf International 2008 - "Lixo zero"


O impacto causado no meio ambiente pela produção desenfreada de lixo tem levado governo e
sociedade a promover estudos e buscar alternativas para minimizar a degradação da natureza
e aumentar o bem estar da sociedade como um todo. Reduzir o desperdício é uma das formas
de se contribuir para a preservação do meio ambiente, conservando as reservas naturais,
sua flora e fauna. A palavra de ordem é reciclar. Reciclar para reduzir o impacto ambiental
e aumentar a qualidade de vida no planeta no presente e principalmente, no futuro. Focada
neste problema a Maresia, empresa que realizou o WQS Maresia Surf International



2008 na Praia Brava de Itajaí, contratou a ong SOS Praias Brasil para realizar o trabalho
de gestão ambiental, organizando toda a parte de colocação e manutenção de lixeiras,
separação seletiva e destinação à reciclagem de todo o lixo gerado durante o evento. Sem
este trabalho, todo este material seria levado para o aterro sanitário da cidade de Itajaí,
a maioria de plásticos, que levam mais de 100 anos para se decompor na natureza. O evento teve
impacto zero.
Terminada a competição a equipe do SOS Praias Brasil "varreu" a areia na área do evento e
a vegetação nativa, concluindo o trabalho na segunda-feira à tarde, deixando toda a área
limpa como estava antes. Com a ajuda de nosso grande amigo e sempre voluntário, Carlão, que
esteve sempre atento na manutenção das lixeiras e ajudando as pessoas a direcionarem o lixinho no coletor correto.


Evento com trabalho positivo. Lixo 100% destinado a coleta seletiva.



As pesagens dos materiais recolhidos e separados para destinação à usina de reciclagem
foram:

* Alumínio - 36 kilos
* Plástico Pet - 84 kilos
* Plástico de 2ª - 22 kilos
* Papel e papelão - 55 kilos
* Vidro - 12 kilos
* Tetra Pack - 6 kilos

Total de 215 kilos de material que iria para o lixão da cidade, caso não houvesse o cuidado
e a atenção da Maresia em relação a esse grande problema de armazenagem nos lixões. A
quantidade só não foi maior devido a chuva. Caso houvesse sol a quantidade de água, sucos,
etc, consumidos seria muito maior.

Trabalho cumprido!

A ong SOS Praias Brasil também realiza o mesmo trabalho no Maresia Profissional Paulista,
com data marcada para a segunda etapa dias 15 e 16 de novembro no Guarujá.


video

sábado, 18 de outubro de 2008

O JOVEM BRASILEIRO E A SUSTENTABILIDADE

Apesar de muita gente confundir, o termo não se refere à maneira como uma pessoa se sustenta
economicamente. Ser sustentável é conseguir sobreviver causando o menor impacto possível no
planeta. É chocante, mas uma pesquisa feita em nove cidades pela MTV revela o conhecimento
dos jovens de hoje em relação ao assunto.

De cada dez jovens brasileiros, seis não têm idéia do que significa a palavra sustentabilidade.
De acordo com a pesquisa os problemas que mais afligem os jovens são a violência, o desemprego e as drogas. Apenas 20% se preocupam com o aquecimento global e os feitos da poluição.

A forma com que o jovem contribui para a preservação é a seguinte:
  • 55% diz que não joga lixo em lugares públicos e têm nessa ação a sua maior contribuição.
  • 21% pensam em reciclagem,
  • 23% em economia de água e
  • 10% em poupar energia.
  • O consumo consciente foi citado por míseros 3%.
O estudo foi realizado com jovens da classe A e B entre 12 e 30 anos. No total 49 milhões de brasileiros. Foram 12 discussões em grupo e 52 entrevistas em profundidade com jovens, pais, educadores, escritores e formadores de opinião de diversas profissões. Foram 2.579 entrevistas nos estados de SP, RJ, BA, DF, PE, MG, RS e AM entre abril e maio de 2008.

Grupos:

Comprometidos (17%): conhecem e valorizam as causas ambientais. Praticam seus conhecimentos cotidianeamente e valorizam as empresas e produtos ecologicamente corretos.

Teóricos (26%): depois dos comprometidos, são os que mais valorizam as causas ambientais.
Têm muita informação se preocupam em não jogar lixo nas ruas e economizar água e energia.
Mas não estão dispostos a sacrifícios pessoais, como reduzir o uso do carro.

Refratários (20%): é o grupo que menos valoriza as causas ambientais e que não faz e nem
pretende fazer nada em favor do planeta. Acreditam que a degradação do meio ambiente é um
problema para ser resolvido pelas próximas gerações.

Intuitivos (21%): não demonstram domínio do assunto ou consciência ecológica. Nesse grupo,
a prática, quando acontece, é mais intuitiva. Acham que a linguagem que a mídia utiliza para falar sobre o assunto muito difícil.

Eco-alienados (16%): são os que menos conhecem conceitos, fatos e acontecimentos relacionados a preservação do meio ambiente. Resistem a reciclagem, não se preocupam com o futuro dos filhos e contribuem pouco para a defesa do planeta.

Fonte: Jornal Drop (SC)

Devemos multiplicar a conscientização ambiental da forma mais simples. Conversando com um sobrinho, um primo, até mesmo seu vizinho e estimular que essa pessoa passe a diante a informação. Ensinando às pessoas a admirarem nossa natureza, coisas simples do dia a dia, como parar para ver e ouvir um pássaro cantar, desligar a torneira da pia quando estiver escovando os dentes, admirar uma calçada limpa, etc.

quinta-feira, 16 de outubro de 2008

SOS PRAIAS BRASIL ATUA NO WQS MARESIA INTERNATIONAL 6 ESTRELAS

O sol só aparece pela manhã, vento e chuva durante quase todo o dia. Assim começou o WQS Maresia International na Praia Brava de Itajaí em Santa Catarina na manhã de terça-feira, dia 14. Quarta e quinta também com muita chuva e paralizações durante o dia por não haverem condições para o surfe. A previsão é de que o mar melhore com a chegada da frente fria.
A cidade de Itajaí comporta um grande porto e fica ao lado de Balneário Camboriú, que já é uma cidade grande e com isso vem também o problema do lixo que dependendo das correntes é jogado na Praia Brava. Do outro lado da cidade desemboca um grande rio, o Itajaí-Açú, que já está muito poluído, segundo informações dos locais e sempre traz muito lixo com as correntes, além do esgoto que é jogado nesse rio. É uma pena, pois a praia Brava de Itajaí é lindíssima. Toda cercada por vegetação nativa e os moradores tem tentado o título de reserva ecológica, mas ainda não conseguiram e estão querendo aprovar a uma lei para a construção de edifícios no local. Total absurdo!



Voltando ao evento, o trabalho da ong fica um pouco mais difícil nas condições de chuva, por haver menos público, principalmente crianças, que é nosso alvo principal para desenvolvermos a educação ambiental. Estamos fazendo a distribuição de sacolinhas oxibiodegradáveis e de cinzeiros ecológicos para os fumantes.
Alguns dos atletas participantes usam o logo da ong em sua prancha em apoio ao nosso trabalho e para mostrarem que também estão preocupados com os problemas ocorridos em nossas praias.

A Maresia contratou a ong SOS PRAIAS BRASIL para realizar a gestão ambiental do mundial 6 estrelas, preocupado com a questão do lixo gerado pelo evento e seu habitual descarte. Estamos separando todo o material que será encaminhado à uma usina de reciclagem para aproveitamento futuro. Assim também estamos ajudando a neutralizar o carbono da natureza.

Durante o evento acontecerão oficinas de criatividade, gincanas ecológicas e ações do Homem-Bituca. Acompanhem!